1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Jovens moçambicanos vêm a Alemanha para formação em Geologia

Cada vez mais moçambicanos querem formar-se na área dos recursos naturais. Mas ainda há falta de conhecimentos técnicos no país e muitos jovens têm de ir estudar fora. A Alemanha vai formar alguns estudantes.

default

Mina de areias pesadas da Kenmare em Nampula, norte de Moçambique

Há muitos recursos naturais que estão a ser descobertos em Moçambique, mas são poucos os moçambicanos formados para lidar com esta realidade. No país, as instituições de ensino superior não estão a ser capazes de responder à procura crescente de formações especializadas em Engenharia Geológica.

Por isso, dezoito estudantes moçambicanos viajam em breve para a Alemanha para uma formação em Geologia na Universidade Técnica de Freiberg, no estado federado da Saxónia.

Estudantes cheios de expetativas

Os estudantes vêm de províncias com potencial para a exploração de recursos naturais. Pascal Gani, do Niassa, no norte de Moçambique, é um dos jovens que vai para a Alemanha: "Espero trazer conhecimento para poder trabalhar, pois o nosso país tem potencial, tem recursos que ainda não foram explorados. Então, espero aprender como explorar para que o país cresça mais económica e financeiramente, que desenvolva mais. Pretendo trazer um desenvolvimento para o meu país."

Mosambik Megaprojekt Kohle

Mina de carvão mineral explorada pela Vale em Tete, centro de Moçambique

Machel Moisés Lucas, proveniente de Manica, no centro do país, também espera ajudar Moçambique a crescer economicamente e considera que "o país está a desenvolver e, se formos a ver, no mercado a maior parte de pessoas que está a desenvolver o país são estrangeiros."

E ele tem objetivos: "Vou-me formar em Geologia e, na nossa vinda, poderemos diminuir o número de estrangeiros e sermos nós a explorar os recursos e a contribuir para o desenvolvimento do país."

O curso de engenharia na Alemanha dura mais de quatro anos.

Bildergalerie Mosambik Abbau Rohstoffe

Garimpo de turmalinas em Nampula

Lionel Machava quer especializar-se na área de perfuração e está confiante que Moçambique "pode esperar com certeza um profissional muito dedicado, disposto a dar o seu contributo para o desenvolvimento do país."

Formação na Alemanha não é nova

A Universidade Técnica de Freiberg foi criada no século XVIII e é uma instituição de referência no setor dos recursos naturais. A professora de alemão dos bolseiros, Petra Wanga, do Centro Cultural Moçambicano-Alemão (CCMA), não tem dúvidas sobre o desempenho dos estudantes: "Nós sabemos que a Alemanha é um país muito potente na tecnologia de ensino.

E na Geologia, nós sabemos que no Ministério dos Recursos Minerais e Energia [MIREM] há muitos quadros que foram formados na Alemanha e que estão a dar bons frutos aqui no país."

Ouvir o áudio 03:11

Jovens moçambicanos vêm a Alemanha para formação em Geologia

Em relação à língua alemã, a professora garante que eles estão no bom caminho. A maior preocupação de Pietra Wanga é usar a linguagem técnica sobre Geologia: "Podemos convidar algumas pessoas que vêm dessa cidade de Freiberg que conhecem a realidade do país e que estão ligadas a esta área. Nós depois fazemos visitas aos museus de geologia e minas para eles poderem beber o que vai ser a realidade deles lá."

O Estado moçambicano apoiará os estudos em Geologia na Alemanha, além de outras organizações.Maputo espera formar, até 2021, mais de quatro mil técnicos no setor dos recursos minerais.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados