1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Jornalistas são alvo de ataque na província de Manica em Moçambique

Vítimas contam que foram surpreendidas por homens armados quando seguiam viagem para cobrir agenda presidencial em Manica. Fontes do Governo dizem que ataque estaria ligado a RENAMO.

default

Escolta militar acompanha coluna de veículos na província de Manica (29.06.2016)

Dois carros que transportavam jornaslistas foram atacados por homens armados esta sexta-feira (15.08), na região de Chiwala, na província de Manica, centro de Moçambique. Os jornalistas seguiam comitiva governamental para fazer a cobertura da visita de três dias do Presidente Filipe Nyusi àquela região. Segundo fontes do governo, o ataque é de responsabilidade da RENAMO.

A comitiva governamental se deslocava para o distrito de Macossa, onde este sábado (16.08) Nyusi fará um comício popular no quadro de sua visita à província de Manica.

Feridos por estilhaços

Entre os veículos atingidos estão o de dois órgãos públicos, nomeadamente a televisão de Moçambique e da rádio Moçambique. Nestas viaturas um jornalista teve ferimentos na nuca devido aos estilhaços de vidros.

Segundo contou a DW um dos jornalistas que preferiu não revelar a sua identidade, o ataque foi repentino. “Quando chegamos à zona de Chiwala ficamos surpreendidos pelos tiros. Tempos depois chegou a força de Defesa e Segurança que respondeu e os homens puseram-se em fuga" conta o jornalista vítima da emboscada.

Nyusi comenta ataques desta sexta-feira

O Presidente da República condenou com veemência os ataques que atigiu os jornalistas e fez críticas aos ataques violentos que se tornam frequentes naquela região.

Mosambik Filipe Nyusi in Manica

Presidente Filipe Nyusi no comício em Manica (12.08.2016)

"Hoje os nossos irmãos, os nossos filhos, estes que estão aqui a escrever, a filmar, uns saíam de Chimoio para Macossa e pelo caminho alguém começou a despertar. Deus é grande e estão todos bem. População de Mossorize, vamos ficar calmos. Fica claro quem não gosta de moçambicanos. Há dúvidas aqui? Alguém quer mostrar que é grande, é forte matando pessoas" disse Filipe Nyusi, sem citar a RENAMO em seu discurso.

O Presidente Filipe Nyusi não circulava naquela comitiva, tendo viajado mais cedo por meio aéreo para o distrito de Mossurize, onde hoje era esperado para o início da sua visita a Manica. Além de Mossurize, hoje, e Macossa este sábado (16.08), agenda presidencial inclui também o distrito de Vanduzi.

Ataques violentos

As autoridades moçambicanas têm acusado regularmente a RENAMO de uma série de ataques. Nas últimas semanas, em localidades do centro e norte de Moçambique, ataques a postos policiais e também assaltos a instalações civis, como centros de saúde ou alvos económicos, como comboios da minerdora brasileira Vale.

A RENAMO acusa por seu lado as forças governamentais de bombardeamentos na Serra da Gorongosa, onde se presume que se encontre o líder da oposição, Afonso Dhlakama.

Ouvir o áudio 03:46

Jornalistas são alvo de ataque na província de Manica em Moçambique

O acordo de paz é um dos quatro pontos de agenda em discussão entre governo e RENAMO, que retomaram na última segunda-feira as negociações, após uma interrupção ocorrida a 27 de julho.

Nos últimos dias, tem sido difícil contactar o partido RENAMO em Manica para falar sobre os ataques que tem sido atribuídos aos seus integrantes.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados