1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Incêndio: Países lusófonos solidarizam-se com Portugal

Portugal está de luto. Pelo menos 62 pessoas morreram e outras dezenas ficaram feridas num incêndio de grandes proporções no centro do país. Líderes de todo o mundo enviaram condolências, incluindo dos PALOP.

O incêndio que deflagrou ao início da tarde de sábado (17.06) é "uma tragédia quase sem precedente na história do Portugal democrático", afirmou o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, num comunicado à nação.

"A nossa dor neste momento não tem medida, como não tem medida a nossa solidariedade, a solidariedade de todos nós para com os familiares das vítimas", acrescentou.

Pelo menos 62 pessoas morreram e 62 ficaram feridas no incêndio na região centro de Portugal. Algumas das vítimas mortais foram apanhadas pelas chamas enquanto circulavam pelas estradas, enquanto outras foram atingidas pela nuvem de fumo. As autoridades temem que o número possa aumentar. Mais de 900 operacionais continuam a combater o fogo, auxiliados por meios de Espanha e França.

Segundo as autoridades portuguesas, trovoadas secas, acompanhadas de raios, terão deflagrado o incêndio na floresta no município de Pedrógão Grande. Portugal tem sido afetado por uma onda de calor, em que as temperaturas chegaram a ultrapassar os 40 graus centígrados.

Mensagens de solidariedade

O país tem recebido mensagens de solidariedade de vários cantos do mundo.

O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, informou através da sua página pessoal na rede social Facebook que telefonou ao homólogo português para lhe transmitir "solidariedade nestes momentos trágicos".

Os partidos da oposição de Cabo Verde também enviaram mensagens de condolências. A presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Janira Hopffer Almada, manifestou "solidariedade ao povo português e em especial às famílias afetadas neste momento de dor e de consternação". Hopffer Almada mostrou-se também preocupada com os cabo-verdianos que residem na zona afetada pelo incêndio "e que estão a passar por este momento de profunda aflição".

Ouvir o áudio 03:52

Portugal de luto devido a incêndio

O chefe de Estado guineense, José Mário Vaz, também expressou a sua solidariedade numa carta enviada ao homólogo Marcelo Rebelo de Sousa: "Nesta triste ocasião, endereço-lhe, em nome do povo guineense e em meu nome pessoal, os sentimentos do nosso profundo pesar e a expressão da nossa solidariedade", escreveu. "Neste momento difícil, o nosso pensamento está com todas as vítimas desta tragédia, muito em particular, com as famílias que perderam os seus entes queridos, a quem, por via da presente, endereçamos as nossas mais sentidas condolências."

Mensagens da Alemanha, França e Espanha

As mensagens de solidariedade chegaram ainda de Espanha, da França e da Alemanha, entre outros países europeus.

O Presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, disse-se profundamente transtornado com "as imagens dramáticas do destruidor fogo florestal em Portugal" e colocou apoio da Alemanha à disposição dos portugueses.

O chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, também ofereceu ajuda a Portugal, acrescentando numa nota no Twitter: "Solidariedade para com Portugal, atingido por um terrível incêndio. Os nossos pensamentos vão para as vítimas."

O rei de Espanha, Felipe VI, também enviou ao Presidente português uma mensagem de "profundo sentimento de pesar" pelas vítimas do incêndio.

O Governo de Portugal decretou três dias de luto nacional por causa da tragédia.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados