1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Hollande deixa Angola com mensagem de diversificação económica

A França está apostada em participar na diversificação da economia angolana, garante François Hollande. O Presidente francês terminou esta sexta-feira uma visita oficial a Angola para reforçar as relações bilaterais.

O chefe de Estado francês foi até Angola para reforçar a cooperação económica entre os dois países, depois de um longo período conturbado nas relações devido ao caso Angolagate, referente a um processo que correu na justiça francesa sobre o alegado tráfico e venda ilegal de armas ao Governo de Angola na década de 90. Enterrado esse período conturbado, os dois países tentam agora olhar para o futuro e recuperar o tempo perdido nas relações bilaterais.

À chegada a Luanda na quinta-feira (02.07), François Hollande dirigiu uma mensagem à comunidade francesa em Angola, incluído empresários, desafiando-os a investir nas mais diversas áreas da economia angolana.

Esta sexta-feira (03.07), depois de um encontro em privado, François Hollande e o seu homólogo angolano, José Eduardo dos Santos, presidiram a uma conferência de imprensa, onde falaram sobre os diversos os acordos assinados e sobre os ganhos recíprocos para os dois países.

O chefe de Estado francês disse aos jornalistas que os acordos agora rubricados irão permitir que a França marque presença em vários setores da economia angolana com vista à sua diversificação. "É necessário também diversificar a presença francesa em vários domínios que estão previstos: construção civil, energias renováveis, saúde, investigação, setor agro-alimentar, turismo e hotelaria"., sublinhou.

Franceses vão gerir 50 hotéis

O Presidente da França dirigiu ainda um Fórum Económico de Cooperação Angola-França, onde anunciou algumas novidades de aplicação imediata. A transportadora aérea Air Francevai criar um terceiro voo semanal entre Paris e Luanda. E o grupo francês Accor vai gerir 50 unidades hoteleiras em Angola, 15 das quais na capital, criando, assim, mais de três mil postos de trabalho a partir de 2017.

Ouvir o áudio 03:36

Hollande deixa Angola com mensagem de diversificação económica

"Tudo isto revela que estamos num movimento de amplificação e simultaneamente de diversificação" das relações económicas, sublinhou Hollande.

Foi também assinado um acordo entre a francesa Total e a angolana Sonangol que prevê acelerar a exploração e desenvolvimento das actividades petrolíferas em Angola e o desenvolvimento da capacidade operativa da Sonangol, na ordem dos 2,5 mil milhões de dólares.

Foram ainda rubricados acordos nos domínios da energia, água, ambiente e da formação. "A formação é necessária em todas as áreas e o que desejamos é que a formação corresponda às necessidades dos angolanos", declarou Hollande.

Paz e democratização

O papel de Angola na manutenção da paz e da segurança na região dos Grandes Lagos mereceu o elogiou do Presidente Francês. François Hollande falou também do processo de democratização em curso Angola, tendo encorajado as autoridades angolanas a não pouparem esforços para o processo de reconciliação nacional e da democratização do país.

Por sua vez, o Presidente angolano mostrou-se confiante na melhoria e fortalecimento das relações entre os dois países com os acordos agora assinados. "Estou certo que esta visita vai ser um marco indelével nas relações entre Angola e a França", considerou José Eduardo dos Santos.

Mais de 60 empresas francesas estão já a exercer a sua atividade económica e comercial em Angola e já estão aprovados 87 projetos de investimento privado francês em várias regiões do país, fora do setor dos petróleo, revelou ainda o chefe de Estado.

Angola Besuch Francois Hollande bei Jose Eduardo Dos Santos

François Hollande (dir.) foi recebido por José Eduardo dos Santos (esq.) no palácio presidencial com honras militares

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados