Guiné Equatorial aperta o cerco às redes sociais | NOTÍCIAS | DW | 12.06.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné Equatorial

Guiné Equatorial aperta o cerco às redes sociais

O Governo da Guiné Equatorial prepara um pacote legislativo para que haja uma utilização responsável dos cibernautas. Também há planos para emissões em português na rádio e TV nacionais para fomentar o uso da língua.

Virgilio Seriche Riloha vice-ministro da Comunicação Social da Guiné Equatorial

Virgilio Seriche Riloha vice-ministro da Comunicação Social da Guiné Equatorial

A confirmação é de Virgilio Seriche Riloha, vice-ministro da comunicação social daquele país que participa pela primeira vez, em Bona, na Alemanha, no Global Media Forum (GMF), organizado pela Deutsche Welle.

O país dirigido por Teodoro Obiang Nguema desde 1979 prepara atualmente uma legislação que visa controlar a utilização das redes sociais por parte da população equato-guineense, como disse à DW África, à margem do GMF, Virgilio Seriche Riloha, vice-ministro da Comunicação Social da Guiné Equatorial.

"Na Guiné Equatorial, é sobretudo a juventude quem mais utiliza o Facebook, mas também o Whatsapp é utilizado agora para quase todos os fins. Daí que dizemos que, muitas vezes, existe o perigo de uma má utilização dessas redes e por isso a Guiné Equatorial tomou a iniciativa de legislar sobre a utilização correta das redes socais. São normas básicas de utilização que vão contribuir para que essas redes sociais sejam utilizadas de forma responsável" afirma Riloha.

Porque as redes sociais têm muita força junto da população da Guiné Equatorial, o ministro Virgilio Riloha deixa claro que a intenção do seu Governo é exercer verdadeiramente um controlo sobre os conteúdos veiculados por estas plataformas.

"Elas têm tanta força, ao ponto de quererem ultrapassar a própria imprensa tradicional. Daí a necessidade de serem controlados os conteúdos dessas redes sociais, porque muitas vezes são divulgados temas e assuntos que não vão de encontro aos anseios da sociedade no seu todo", considera.

Mapa da Guiné Equatorial

A Guiné Equatorial é o único país de língua espanhola em África

Cooperação 

A Guiné Equatorial, que pela primeira vez participa neste encontro de três dias organizado pela DW, mostrou-se, através do seu vice-ministro da Comunicação Social, interessada em introduzir blocos em português nas emissoras nacionais de TV e de rádio para fomentar o uso da língua portuguesa.

"Foi um primeiro contacto que me permitiu ter uma boa conversação com responsáveis da DW e penso que outras oportunidades irão surgir visando esta cooperação com a rádio internacional da Alemanha, em matéria de programas em língua portuguesa, para que os nossos media possam também transmitir esses conteúdos", disse.

Recorde-se que a Guiné Equatorial é o mais recente membro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e trabalha desta forma para massificar o ensino da língua portuguesa como a terceira língua do pais, através dos meios de comunicação social.

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados