1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Governo de Quelimane preocupado com infiltração de guerrilheiros da RENAMO

Carlos Carneiro, administrador de Quelimane, falou aos jornalistas esta quinta-feira (10.03.) e demonstrou a sua preocupação com a infiltração de elementos armados da RENAMO e pede à polícia para aumentar os reforços.

default

Apoiantes da RENAMO em Quelimane (março 2015)

A instabilidade em Moçambique tem vindo a agravar-se nos últimos tempos. A RENAMO, principal partido da oposição, e o Governo continuam a acusar-se mutuamente de ataques armados, raptos e assassinatos de dirigentes políticos.

A polícia atribuiu ao braço armado da RENAMO vários ataques a tiro nas últimas semanas nas principais estradas das províncias de Sofala, Manica e Zambézia. O partido da oposição nunca desmentiu.

A insegurança e receio das populações tem mesmo levado à fuga de milhares de pessoas, principalmente na província de Tete, para o vizinho Malawi.

Mosambik Renamo Rebellen 10.04.2013

Guerrilheiros da RENAMO

Carlos Carneiro, administrador de Quelimane, na província da Zambézia, Moçambique, demonstra também a sua preocupação e convidou jornalistas, esta quinta-feira (10.03.) para explicar que a cidade de Quelimane está ameaçada pelos homens da RENAMO e teme que os mesmos se estejam a infiltrar na cidade.

Antes da conferência de imprensa, Carlos Carneiro esteve reunido com comandantes das esquadras da Polícia da República de Moçambique da cidade de Quelimane e alertou-os a tomarem muito cuidado com as manifestações armadas.

"Mais vale prevenir do que remediar"

"Mais do que nunca, é importante a questão da prevenção. Mais vale prevenir do que remediar. Acompanhamos as situações nos distritos vizinhos como Morrumbala, Nicoadala e Mopeia e não estamos longe. Sentimo-noss preocupados", confessa Carlos Carneiro.

Por sua vez, Abdala Ussifo, delegado político da RENAMO na Zambézia reagiu afirmando que a situação na Zambézia está controlada: "até então não há nada que fuja da nossa alçada. Estamos a assistir movimentações militares, mas na área dos outros, não na nossa. Se o administrador fizer parte desse elenco militar, então que nos informe onde são essas zonas".

Mosambik RENAMO Rebellen 2012

Guerrilheiros da RENAMO

Entretanto, Carlos Carneiro referiu que algumas zonas, principalmente no Supinho e no Maquival, reina um clima de medo, daí que se possa dizer que há de facto uma ameaça à população.

"Em Quelimane temos informações de que alguns grupos também criam instabilidade nas casas e nas vias públicas e isso atormenta de certa maneira o bom ambiente onde a população se faz presente. Por isso é que não pensámos duas vezes em fazer esta reunião. Precisamos de arregaçar as mangas como Governo", explica o administrador de Quelimane.

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, já demonstrou disponibilidade para retomar o diálogo com Afonso Dhlakama, líder da RENAMO. No entanto, este último, exige tomar o poder nas seis províncias onde reclama vitória nas últimas eleições gerias de 2014, tendo pedido também mediadores nas negociações entre a RENAMO e o Governo.

Até agora, o maior partido da oposição já contatou o Governo sul-africano, a Igreja Católica e a União Europeia para aceitarem o papel de mediadores.

Ouvir o áudio 01:55

Governo de Quelimane preocupado com infiltração de guerrilheiros da RENAMO

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados