1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Governo da Guiné-Bissau a postos para recenseamento eleitoral

Timor-Leste doou, esta quinta-feira (28.11), parte do material para o recenseamento que arranca domingo e que visa registar 800 mil eleitores. O processo tem em vista as eleições de 2014.

O recenseamento eleitoral arranca domingo (01.12) e deverá decorrer até dia 21 de dezembro, em todo o território, tendo em vista a preparação para as eleições de 2014.

O executivo timorense, que apoia o processo eleitoral, entregou, esta quinta-feira (28.11), às autoridades de transição guineenses um conjunto de equipamentos informáticos, nomeadamente um computador portátil, uma máquina fotográfica, uma impressora e equipamento para tratamento de impressões digitais e códigos de barras.

Tomás Cabral Osttimor

Tomás Cabral, chefe da delegação timorense, na inauguração do Centro do Processamento de Dados Eleitorais

E está garantida também a oferta de “um gerador com capacidade de 65 Kwa para o Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral (GTAPE) e Comissão Nacional de Eleições (CNE)”, afirma Tomás Cabral, chefe da delegação timorense.

“Vamos apoiar também o transporte do material para o recenseamento eleitoral (800 mil cartões eleitorias, 800 mil formulários para o recenseamento). Vamos apoiar o GTAPE e a CNE no ato de recenseamento. Aqui na sede central temos também um servidor para a base de dados que guardará todo o sistema eleitoral da Guiné”, acrescenta Tomás Cabral.

O espaço onde se encontra o material para o recenseamento e eleições foi inaugurado, também nesta quinta-feira (28.11), numa cerimónia que contou com o primeiro-ministro de transição da Guiné-Bissau, Rui Duarte de Barros.

Wahlen 2014, Guinea-Bissau gespendete PKW

A Nigéria forneceu automóveis para apoiar o processo de recenseamento

Um segundo carregamento de material deverá ser entregue o mais tardar até à segunda semana de dezembro. “No ato que foi assinado [esta quinta-feira] conseguimos 119 “kits”. No sábado vão chegar mais alguns e poderemos completar com 123 “kits” no início do recenseamento. Mas no total, o que vamos oferecer são 200 “kits” ao governo e ao povo guineense”, garante Tomás Cabral, chefe da delegação timorense.

A Nigéria entregou 25 carinhas à Comissão Nacional de Eleições (CNE) para facilitar a deslocação dos seus membros.

“Não temos condições mas estamos preparados”

De acordo com Baptista Té, ministro da Administração Territorial, mais de três mil pessoas vão estar mobilizadas no recenseamento. Só o GTAPE deverá disponibilizar equipas de três pessoas por cada "kit", ou seja, um total de 600 recenseadores, além de outros 225 que já estão em funções nas diferentes regiões.

Ouvir o áudio 03:08

Governo da Guiné-Bissau a postos para recenseamento eleitoral

“Nós não temos todas as condições mas estamos preparados para dar início [ao processo]. Ao longo do caminho vamos corrigindo essas dificuldades e movendo também os populares para atingir a previsão que, neste momento, temos do número de eleitores", diz Baptista Té.

"O recenseamento é obrigatório, acho que os guineenses deviam compreender isso”, sublinha ainda.

O executivo estima recensear 800 mil eleitores no país e na diáspora, o que a confirmar-se representará mais 200 mil eleitores em relação ao último recenseamento, realizado em 2008.

O primeiro-ministro de transição, Rui Duarte de Barros, pede aos guineenses que comparecerem em massa nas mesas do recenseamento eleitoral: “temos que nos mobilizar, sensibilizar as pessoas, para que aconteça este tão importante ato [o recenseamento] que a Guiné-Bissau espera, para que depois possamos ter umas eleições o mais transparente possível, com maior credibilidade”.

O Presidente de transição, Serifo Nhamadjo, será o primeiro eleitor a ser registado e receberá o cartão número um. Os eleitores guineenses vão poder ir às urnas a 16 de março de 2014 para eleger um novo Governo e chefe de Estado.

Material für die Wahlen in Guinae-Bissau in 2014

Neste servidor ficarão guardados os dados eleitorais dos guineenses

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados