George Weah toma posse como Presidente da Libéria | NOTÍCIAS | DW | 22.01.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

George Weah toma posse como Presidente da Libéria

A cerimónia tem lugar esta segunda-feira (22.01), em Monróvia. O ex-jogador de futebol sucede a Ellen Johnson Sirleaf, a primeira mulher eleita Presidente no continente africano.

O historial político do novo Presidente liberiano ainda é recente. Antes de vencer a segunda volta das presidenciais, em dezembro, Weah foi senador durante três anos. Mas foi nos Camarões, ainda na década de 1980, que George Weah começou a ganhar fama por causa do futebol.

Jean Paul Akono, ex-treinador de George Weah, que também comandou a seleção de futebol camaronesa, ainda se lembra como começou a carreira do ex-jogador de futebol, que se tornou Presidente da Libéria: "Foi depois de uma partida do Tonnerre Yaoundé, na Libéria, que o meu antecessor e amigo Bendongo Paul Gaston descobriu George Weah”, conta. "A sua proeza ajudou a equipa liberiana a derrotar o Tonnerre”.

Akono recorda que, durante a partida, Weah marcou dois golos para a equipa liberiana do Invincible Eleven. O presidente do Tonnerre Yaoundé, Pierre Semengue, imediatamente negociou a ida de George Weah para os Camarões: "Quando chegámos, a primeira partida foi contra a equipa do Canon Yaoundé. Weah marcou dois golos”.

Rumo à Europa

George Weah

George Weah no AC Milan, num jogo contra o Inter de Milão, em 1999

O começo não foi fácil para George Weah. Semengue conta que o liberiano passou vários meses a dividir um apartamento de um quarto com alguns colegas da equipa.

"Esta era a casa dos meninos. Antes disso, Weah foi hospedado pela minha esposa com outros jogadores como Kofi Habre e Sara Mensah. Os avançados do Tonnerre, que são muito populares entre os que falam inglês nos Camarões, ficaram aqui gratuitamente", explica Pierre Semengue.

A performance mais memorável de George Weah nos Camarões foi quando liderou a sua equipa rumo à vitória num campeonato em 1988 frente ao Presidente do país, Paul Biya.

A performance excecional foi notada por Claude Leroy, então treinador da seleção nacional de futebol dos Camarões, que depois intermediou os contatos entre George Weah e o Mónaco. Foi assim que o jogador liberiano iniciou a sua carreira profissional na Europa: jogou no Paris Saint-Germain, no Milão, no Chelsea e no Manchester City.

Um companheiro de equipa como Presidente

Ouvir o áudio 03:15

George Weah toma posse como Presidente da Libéria

Dieudonne Nke, também um ex-companheiro de equipa, diz que Weah não deve esquecer que foi o futebol dos Camarões que o impulsionou. "Quando foi anunciado que ele ganhou as eleições, gritei de alegria. Não é todos o dias que se tem um companheiro de equipa como chefe de Estado", frisa.

George Weah, de 51 anos, venceu a segunda volta das presidenciais com 61,5% dos votos, derrotando o seu rival, o vice-Presidente cessante Joseph Boakai. Muitos críticos dizem que a falta de experiência na política atrapalhará o desempenho do novo Presidente.

Entretanto, George Weah diz estar preparado para assumir a liderança do país e garante que uma das suas prioridades é manter a paz conquistada nos 12 anos de Governo da Presidente cessante Ellen Johnson Sirleaf.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados