1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

General suspeito de ligações ao tráfico de drogas revela-se músico

O Chefe de Estado Maior da Força Aérea da Guiné-Bissau lança músicas para mudar a péssima imagem que os militares guineenses têm. Papa Camara é um dos oficiais acusados internacionalmente de ser narcotraficante.

default

O General Papa Camará (à esq.) coloca patente a um militar guineense

A imagem dos oficiais militares da Guiné-Bissau foi sempre associada à má imagem que o país projeta desde a independência do jugo colonial em 1974.

Os militares sempre foram tidos como principais responsáveis pelos assassinatos recorrentes, instalando uma instabilidade crónica no país.

Essa postura dos militares guineenses criou um mal-estar entre as Forças Armadas do país e a população guineense em geral, gerando um clima de medo, intimidação e de muita desconfiança.

A imagem dos militares piorou no plano internacional quando vários oficiais foram acusados de tráfico de droga que passa no país para a Europa.

Um deles é o atual Chefe de Estado Maior da Força Aérea da Guiné-Bissau, o general Ibraima Camará, mais conhecido como Papa Camará, que recentemente lançou músicas em Bissau. Temas que já que são um sucesso radiofónico.

Kokain Drogenhandel nach Europa über West Afrika Guinea Bissau

A Guiné-Bissau é considerada uma das placas giratórias do tráfico de drogas da África Ocidental

Apelos à união e reflexão

O general afirma que através da música consegue fazer passar a mensagem da união entre os povos contra calúnias.

Papa Camará refere-se ao facto de ser acusado pelos Estados Unidos de América de ser um dos barões da droga na Guiné-Bissau. "Fiz esta interligação para justamente contar a verdadeira história do país. Na música não fiz só apelos a paz e a reconciliação nacional, como também tentei mostrar que poderíamos ser úteis se nos unísssemos", conta.

As duas músicas de apresentação divulgadas em Bissau falam do amor que deve prevalecer na sociedade guineense. O general Papa Camara faz apelos à paz e à reconciliação nacional.

O chefe de Estado Maior da Força Aérea, que se formou na antiga União Soviética em aviação militar, pretende dedicar-se à música quando se reformar.

Drogenhandel Guinea Bissau

Em finais de 2013, a polícia apreendeu droga no aeroporto internacional guineense

Músico na lista negra dos EUA

O general pretende mudar a imagem dos militares guineenses através da música. "Apesar das pessoas afirmarem que as minhas músicas têm boa melodia, para ser um bom cantor não me interessa essa melodia, mas sim o conteúdo que lanço nessa música, não só para o meu país, mas para África em geral, para procurar a raiz dos problemas", explica.

Papa Camará é, desde 2010, uma das duas altas figuras militares da Guiné-Bissau apontadas como estando envolvidas no narcotráfico num documento do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos da América.

A ação judicial emitida pelo Tesouro norte-americano proíbe também quaisquer ligações comerciais ou financeiras de cidadãos norte-americanos com Papa Camará e Bubo Natchuto, ex-chefe da Marinha da Guiné-Bissau, já detido nos Estados Unidos, e congela activos que estes possam deter em território americano.

Ouvir o áudio 03:14

General suspeito de ligações ao tráfico de drogas revela-se músico

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados