1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Gangs organizados pilham recursos da Reserva do Niassa

Os ataques à maior reserva natural de Moçambique são constantes. Cidadãos tanzanianos estão a pilhar os recursos da Reserva do Niassa, no norte do país, em parceria com cidadãos moçambicanos, denuncia o administrador.

Os tanzanianos entram na reserva natural de forma organizada. Apoderam-se de toneladas de madeira, que levam para a Tanzânia, e abatem animais de grande valor, principalmente elefantes.

A informação é avançada pelo administrador da Reserva do Niassa, numa entrevista exclusiva à DW África sobre o balanço das atividades desenvolvidas durante o primeiro semestre de 2015.

Segundo Cornélio Miguel, os tanzanianos pilham os recursos naquele parque animal em parceria com cidadãos moçambicanos.

Mosambik Cornelio Miguel in Reserva Nacional do Niassa

Cornélio Miguel, administrador da Reserva Nacional do Niassa

"Há alguns residentes de aldeias nacionais que acabam praticando atividades ilegais dentro e fora da reserva", diz.

Ajuda de todos contra crime

O responsável não avança números concretos sobre os prejuízos, mas refere que as incursões dos tanzanianos e moçambicanos estão a lesar a economia nacional. Cornélio Miguel agradece, por isso, a colaboração de todos aqueles que lutam para defender a reserva.

"A comunidade tem uma participação positiva. Na sua maioria, a população tem estado a colaborar positivamente com a nossa administração e com outros setores que se dedicam à proteção dos recursos florestais e faunísticos."

O governador do Niassa, Arlindo Chilundo, sublinha que a defesa dos recursos naturais deve ser uma tarefa de todos os nacionais e não só de um grupo de pessoas.

Ouvir o áudio 02:21

Gangs organizados pilham recursos da Reserva do Niassa

"Em economias como a nossa, os recursos naturais assumem não só um papel catalisador na criação de riqueza, como também são a razão de cobiça daqueles que não os ostentam", afirma Chilundo. "Queremos, com isto, manifestar a nossa satisfação pela vossa prontidão em participar de forma pró-ativa no controlo e fiscalização dos nossos recursos naturais, incluindo a preservação do meio ambiente."

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados