1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Futebol em Moçambique merece ser reformulado, dizem especialistas

Entendidos em Moçambique mostram-se céticos quanto às possibilidades de desenvolvimento do futebol no país de origem de Eusébio e Coluna. Um sociólogo moçambicano afirma que os "Mambas" vão estagnar nos próximos 20 anos.

default

Os "Mambas", seleção de Moçambique; foto de 2008

Em tempos de mundial de futebol, os moçambicanos, declarados amantes do futebol, acompanham as seleções mundias que admiram. Pois Moçambique não se conseguiu qualificar. O que se passa com o futebol moçambicano? O que se passa com a federação moçambicana de futebol? Como está a ser desenvolvida a estrutura para o desporto no país?

A DW colocou estas questões ao dirigente da Federação Moçambicana de Futebol, Filipe Johane, que respondeu o seguinte: "Nas últimas duas décadas as coisas não estiveram lá muito bem, mas a tendência é para melhorar. A guerra acabou, a situação económica vai melhorando. Portanto o nosso futebol vai desenvolver-se."

Moçambicanos ainda sonham com craques dos anos 60

Fußball Fußballer Eusebio Brasilien Mosambik Portugal

Eusébio, depois da morte, continua um símbolo do futebol de Portugal, mas também de Moçambique

O talento do futebol moçambicano já é destaque há muito tempo. Quem não se lembra de Mário Coluna, de Hilário ou de Eusébio, que jogaram na seleção de Portugal em 1966, quando Moçambique ainda era colónia portuguesa?

Esses nomes e outros são lembrados até hoje pelo Adão Matimbe, jornalista desportivo da Rádio Moçambique: "Esta fornada de jogadores saiu de Moçambique e passou para o campeonato de Portugal. Decénios depois não deixam de ser um motivo de orgulho para todos os moçambicanos."

Mario Coluna Fußballer aus Mosambik

Mário Coluna, outro "imortal" do futebol moçambicano, mesmo depois da morte

O Estado não investe no desporto

Para o sociólogo e e estudioso do Futebol e Moçambique, Aurélio Rocha, além do atraso por problemas do passado, ainda hoje não há esforço do governo para investir na seleção: "O setor privado faz alguns esforços, vai suportando o funcionamento dos clube, mas o Estado não praticamente não dá apoio. Sente-se uma grande falta de política para o deseporto em Moçambique."

Treinador alemão não deu conta do recado

Nas eliminatórias para o campeonato do Mundo de 2014, que está agora a ocorrer no Brasil, a Federação Moçambicana de Futebol contratou o técnico alemão Gert Engels. Mas o contrato foi rescindido antes mesmo do fim da qualificação para o Mundial, quando Moçambique ocupava o penúltimo lugar do grupo e depois de ter sido goleada pela equipe de Guiné-Conacri, em 2013. Em entrevista à DW, Gert Engels refere que foi a primeira vez que foi técnico de uma seleção nacional, tendo sentido dificuldades em trabalhar com a equipa, principalmente por causa da desorganização:"Tive inúmeros problemas, grandes e pequenos. Queríamos ir a um estágio e não tínhamos hoteis reservados. Queríamos treinar, mas não havia autocarros para transportar os jogadores. Tivemos também problemas com vistos, porque houve atrasos desnecessários. Resumindo: tive que conviver com um monte de problemas!"

Gert Engels Fußballtrainer

Gert Engels, ex-selecionador, queixa-se que encontrou muita desorganização em Moçambique

O sociólogo Aurélio Rocha também não considera Moçambique pronta para um Mundial e não vê a equipe na competição pelo menos nós próximos 20 anos: "Isso acontece devido ao estado em que o país se encontra: as dificuldades financeiras. O pais ainda vai precisar de uns anos para se estabilizar."

Os moçambicanos, entretanto, preferem deixar a estatística de lado e continuar a torcer pelos "Mambas".

Ouvir o áudio 04:04

Futebol em Moçambique merece ser reformulado, dizem observadores

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados