1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

FRELIMO reticente com exigências que vão contra os princípios da democracia

O porta-voz da FRELIMO, Damião José, frisa que o processo eleitoral decorreu com normalidade e que as supostas exigências da oposição para um Governo de inclusão são contra os princípios do jogo democrático.

Os partidos da oposição, principalmente a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) e o Movimento Democrático de Moçambique (MDM), denunciam várias irregularidades no processo eleitoral da passada quarta-feira (15.10).

Porém, a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), força no poder e que lidera na contagem dos votos, contesta as acusações de fraude eleitoral. A DW África falou com o porta-voz da FRELIMO, Damião José.

DW África: Como é que correu este processo eleitoral?

Damião José (DJ): É bom que recordemos que na mesa de diálogo entre o Governo e a RENAMO, a exigência desta formação política era a paridade nos órgãos eleitorais. Na sequência disso, foi revisto o pacote eleitoral, o que permitiu que os três partidos com representação na Assembleia da República estivessem representados em todos os órgãos eleitorais, incluindo nas mesas de assembleia de voto.

DW África: Foi isso que aconteceu?

RENAMO-Führer Afonso Dhlakama

Afonso Dhlakama, principal líder da oposição, disse numa conferência de imprensa no sábado que quer negociar com a FRELIMO

DJ: Foi isso que aconteceu. Não é só da opinião da FRELIMO, mas sim de grande parte dos moçambicanos, dos observadores nacionais e internacionais, que o processo decorreu bem, de forma ordeira e pacífica, de maneira a garantir que tivéssemos eleições justas e transparentes. Excluem-se alguns episódios isolados de tentativas de perturbação do processo por parte de alguns cidadãos, claramente identificados com a RENAMO e o MDM. Refiro-me aos episódios de Tete, onde as urnas foram vandalizadas e os boletins queimados. Refiro-me aos episódios em Angoche, onde houve tentativa de erguer as barricadas… Estes episódios não põem em causa, no cômputo geral, o decurso normal do processo.

DW África: A FRELIMO já tem a certeza que vai vencer este processo?

DJ: Neste momento, a FRELIMO acompanha a divulgação dos resultados preliminares. Embora estes resultados sejam animadores para a FRELIMO e para o candidato Filipe Jacinto Nyusi, enquanto os órgãos eleitorais não disserem quem ganhou estas eleições, nós continuaremos a acompanhar serenamente o processo.

DW África: Como responde às acusações da RENAMO e do MDM sobre ações de vandalização do processo por parte da FRELIMO?

Ouvir o áudio 05:25

FRELIMO reticente com exigências que vão contra os princípios da democracia

DJ: Não vamos responder às acusações da oposição. Mas podemos comentar. A postura assumida pela RENAMO e pelo MDM é de má fé. Todos nós testemunhámos que o processo decorreu bem. A RENAMO, desde 1994, nunca aceitou os resultados das eleições. Quando o MDM vence as eleições, não há irregularidades. No ano passado, nas eleições autárquicas, a FRELIMO perdeu as eleições na cidade Beira, em Quelimane, em Nampula, em Gurué. O que a FRELIMO fez foi reconhecer e felicitar os vencedores nesses municípios. A pergunta que os moçambicanos fazem é: As eleições são justas, limpas e transparentes quando ganha a oposição?

DW África: A FRELIMO estaria preparada para negociar com os partidos da oposição e incluí-los num Governo de unidade nacional, mesmo tendo conquistado a maioria no Parlamento?

Wahlen Mosambik 15.10.2014 Filipe Nyusi

Filipe Nyusi deposita o voto, em Maputo, no dia das eleições gerais (15.10)

DJ: Com essa pergunta eu respondo com outra pergunta: Será que depois do povo confirmar o vencedor das eleições, tem de haver negociações sobre o resultado que o povo concede a um determinado partido? Esta é a pergunta que tem de ser feita. Os moçambicanos esperam que, se os órgãos eleitorais vierem efetivamente a proclamar a vitória da FRELIMO e do candidato Filipe Jacinto Nyusi, todos se conformem com os princípios do jogo democrático. Não criem confusão e não apareçam com exigências que são contra os princípios do jogo democrático.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados