1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Forças de segurança ocupam sede da Comissão Eleitoral na Gâmbia

Forças de segurança gambianas assumiram esta terça-feira (13.12) o controlo da sede da Comissão Eleitoral Independente (CEI) e proibiram os funcionários de entrarem no edifício.

Gambia Wahlen Yahya Jammeh (Reuters/C. Garcia Ralins)

Yahya Jammeh, Presidente cessante da Gambia

Segundo a agência de notícias Reuters, forças de segurança gambianas assumiram esta terça-feira (13.12) o controlo da sede da Comissão Eleitoral Independente (CEI) e proibiram os funcionários de entrarem no edifício.

O Presidente da Comissão, Alieu Nomarr Njai, foi forçado a abandonar o edifício. "Os soldados entraram no meu gabinete e deram-me ordens para sair”, disse Njai à agência Reuters, em Banjul.

Gambia nach Präsidentschaftswahl - Wahlsieger Adama Barrow (Reuters/A. Sotunde)

Adama Barrow, vencedor da eleição presidencial na Gambia

Recorde-se que o chefe de Estado cessante, Yayha Jammeh, rejeita o resultado da eleição presidencial de 1 de dezembro, que o seu rival Adama Barrow, venceu. Jammeh tinha declarado que aceitava o veredito das urnas, mas, depois, recusou aceitar o resultado.

Entretanto, chefes de Esatdo da África Ocidental começaram a chegar à Gâmbia para tentar convencer Jammeh a reconhecer definitivamente a sua derrota eleitoral e ceder o poder ao vencedor, a fim de evitar que o seu país entre numa onda de violência pós-eleitoral.

 UA apela ao presidente da Gâmbia para ceder o poder

O Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) apelou ao presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, para respeitar "a vontade" do povo e não tentar anular os resultados das presidenciais de 01 de dezembro, em que foi derrotado.

Gambia Streit um das Ergebnis der Präsidentenwahl (Getty Images/AFP/Seyllou)

Presidente do Gana, John Dramani Mahama, chegou a Banjul

 A UA está a analisar o envio de uma delegação de alto nível a Banjul para mediar a transferência de poder, após Jammeh ter declarado na sexta-feira 09.12) que não aceitará os resultados das eleições vencidas por Adama Barrow, indica um comunicado divulgado esta terça-feira (13.12) pela organização pan-africana. 

Os representantes da UA poderiam continuar o trabalho da missão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que chegou hoje na Gâmbia para pedir a Jammeh que ceda o poder como prometeu após o escrutínio. 

"A UA rejeita firmemente qualquer tentativa de eludir ou anular os resultados das eleições presidenciais na Gâmbia no dia 01 de dezembro, que expressam claramente a vontade e escolha do povo gambiano", precisa a organização.

Irregularidades na votação?

Afrikanische Union Logo

Jammeh, 51 anos e há 22 no poder, admitiu inicialmente a derrota, mas na sexta-feira à noite voltou atrás e recusou aceitar o resultado das eleições, alegando irregularidades na votação. 

No domingo 11.12), anunciou que apresentará um recurso ao Tribunal Constitucional para que os resultados sejam anulados e as eleições repetidas. 

A União Africana considera que as eleições foram "livres e transparentes" e defende uma transferência de poderes "rápida e pacífica" para preservar a estabilidade e a democracia na Gâmbia e em toda a região. 

Jammeh chegou ao poder em 1994 através de um golpe de Estado e é há muito acusado por organizações de defesa dos direitos humanos de deter, torturar e assassinar opositores. 

 

Leia mais