Filipe Nyusi promete empenho na resolução de crises em Moçambique | Moçambique | DW | 22.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Filipe Nyusi promete empenho na resolução de crises em Moçambique

As crises política e financeira em Moçambique foram questões frequentemente colocadas ao Presidente no arranque da sua visita a Bruxelas. Porém, Filipe Nyusi não avançou detalhes sobre soluções que prometeu encontrar.

default

Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi (esq.) com Donald Tusk, Presidente do Conselho Europeu

O Presidente moçambicano está de visita à capital da União Europeia (UE), na Bélgica, numa altura em que aumenta a ânsia dos moçambicanos por um esclarecimento sobre os escândalos financeiros. Os casos da Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM) e ProIndicus já fizeram com que o Fundo Monetário Internacional (FMI) recuasse na intenção de uma visita de avaliação ao país.

Em contrapartida, as idas frequentes de governantes moçambicanos a Washington para prestar esclarecimentos ao FMI e ao Banco Mundial sobre as revelações de novos empréstimos são interpretadas como uma tentativa desesperada de manter este parceiro.

O tema também é assunto em Bruxelas. Questionado sobre as consequências desses casos na relação com os doadores da UE, Filipe Nyusi respondeu que "o importante é a atitude que o país toma".

Belgien Brüssel Filipe Nyusi und Pim van Ballekom

Filipe Nyusi (esq.) com Pim van Ballekom, vice-presidente do Banco Europeu de Investimento

Segundo o chefe de Estado, nos encontros mantidos com representantes dos países que apoiam Moçambique, estas questões foram abordadas "de forma direta e frontal". O que, segundo Nyusi, "encoraja" o seu Governo "a continuar com essas medidas, que é o que está acontecer".

Quem recebe esclarecimentos sobre os empréstimos avaliados em 884 milhões de euros é o FMI, segundo o Presidente moçambicano. Nyusi diz que conta para isso com a participação de parceiros e instituições bancárias.

O FMI acusa as autoridades moçambicanas de terem escondido parte dos empréstimos. Mas Filipe Nyusi já tem ideia do tipo de apoio que precisa: o mesmo do caso EMATUM. "A dívida está reestruturada e esperamos que as outras que possam vir a acontecer também sejam reestruturadas", declarou em Bruxelas.

Solução interna para crise política

Relativamente aos impactos desta crise, o Presidente não foi capaz de especificar, limitando-se apenas a garantir que já se está a trabalhar na sua avaliação. Outro assunto que também se mostra difícil de medir é a crise política que se arrasta há meses no país.

Federica Mogherini

Federica Mogherini, alta representante para os Negócios Estrangeiros e vice-presidente da Comissão Europeia

Enquanto entendidos preferem qualificá-la como "guerra não declarada", Filipe Nyusi prefere falar em "distúrbios". Mediadores nacionais ainda não conseguiram resultados satisfatórios. A UE, por sinal proposta pela Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), o maior partido da oposição, como uma das mediadoras das negociações, ofereceu-se já para ajudar o país a sair da crise.

Subtilmente, o Presidente moçambicano deixou claro que a solução interna ainda é a principal aposta. "Moçambique tem referências de comunicação", sublinhou. " Já me reuni com o líder da RENAMO, Afonso Dhlakama, duas vezes, o que significa que pode haver uma terceira ou quarta vez". Nyusi lembrou ainda que já indicou "um grupo que deve preparar o encontro".

Em fevereiro passado, em Maputo, a alta representante para os Negócios Estrangeiros e vice-presidente da Comissão Europeia, Federica Mogherini, já tinha oferecido ajuda para ultrapassar a crise. Na altura, disse recear que os confrontos colocassem em causa todas as conquistas alcançadas nas últimas décadas, também com a ajuda da UE.

Esta sexta-feira (22.04), segundo e último dia da visita a Bruxelas, Nyusi tem previstos encontros com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e com a comunidade moçambicana do BENELUX (Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo). Espera-se ainda que no balanço da visita, o Presidente moçambicano fale sobre os temas que dominaram os encontros que manteve com a Comissão Europeia.

Ouvir o áudio 03:41

Filipe Nyusi promete empenho na resolução de crises em Moçambique

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados