1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Falta de latrinas é perigo para a saúde pública em Nampula

Menos de metade da população da província moçambicana de Nampula continua a não ter latrinas melhoradas. Ter uma latrina assim sai caro. Mas, sem estas latrinas, perigos para saúde são muitos, sobretudo na época chuvosa.

default

Latrina melhorada produzida numa fábrica em Nampula, Moçambique

Ter uma latrina com fossa, lajes e blocos em cimento ainda é um luxo para muitas famílias na província nortenha de Nampula. Segundo dados oficiais, só 30% dos cerca de cinco milhões de habitantes da província mais populosa de Moçambique têm latrinas melhoradas.

Tomé dos Santos é um dos cidadãos sem uma dessas latrinas. Ele usa uma latrina de construção precária, que construiu com pneus velhos de carro, porque diz que não tem dinheiro para mais. Mas Santos sonha com uma latrina melhorada.

"Não tenho, mas gostaria de ter", afirma. "O que está a criar problemas é a subida do preço das matérias-primas [cimento, ferro e pedras] - as lajes encareceram. Por isso, somos obrigados a ter latrinas precárias. Como já estamos a entrar no tempo chuvoso, [se acontecer] uma pequena coisa, vai desabar.''

À semelhança de Tomé, Victor Ernesto também não tem uma latrina melhorada. "Entrei neste bairro há pouco tempo e não tenho muitas condições para construir uma latrina melhorada. Fiz uma latrina improvisada, porque elas custam muito caro. Todo o material necessário subiu de preço.''

Na cidade de Nampula, uma laje pode custar até 1500 meticais, o equivalente a 20 euros. Há menos de um ano, custava 250 meticais - pouco mais de três euros.

Latrine in Namapula Mosambik Offener Raum für Defäkation

Zona residencial onde a população defeca a céu aberto

Expetativas de melhorias

Alfredo Albino é dono de uma fábrica de produção de latrinas melhoradas. Ele admite que os preços das lajes subiram, mas justifica o aumento com o custo do material.

‘'Antes, [de fevereiro a junho], vendia cinco lajes por mês, mas agora passa um mês sem sequer vender uma. Por isso considero que há falta de dinheiro, não é porque as pessoas não querem comprar.'' Para evitar prejuízos, Alfredo Albino passou a produzir menos lajes.

O governo provincial e os parceiros têm estado a construir latrinas melhoradas nas comunidades. Uma fonte da direção provincial das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos avançou que, até setembro, foram construídas perto de 12 mil latrinas em toda a província.

A mesma fonte disse ainda que, nos próximos meses, serão fabricadas mais de 21 mil lajes e abertas quatro mil latrinas melhoradas nas comunidades de Nampula.

A falta de latrinas, principalmente no período chuvoso, contribui para a eclosão de doenças diarreicas na província de Nampula. Mas a defecação a céu aberto também é uma prática comum no litoral norte de Moçambique.

Ouvir o áudio 02:11

Falta de latrinas é perigo para a saúde pública em Nampula

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados