1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Exoneração de Carlos Mesquita só depois do congresso da FRELIMO?

Filipe Nyusi visitou esta quinta-feira (13.04) empresas sob tutela do Ministério dos Transportes e Comunicações, muitas em crise, como a LAM. E o próprio ministro tem o nome "queimado". Esperam-se atitudes do Presidente?

default

Carlos Mesquita, ministro dos Transportes e Comunicações

Num único dia, o Presidente moçambicano Filipe Nyusi, visitou cinco empresas: o Instituto Nacional de Comunicações de Moçambique (INCM), o Porto de Maputo, o Instituto Nacional de Transportes Terrestres (INATTER), a Empresa Municipal de Transportes Públicos de Maputo (EMTPM) e as Linhas Aéreas de Moçambique (LAM). Esta última empresa tem sido bastante criticada pelo péssimo serviço prestado.

O analista Silvério Ronguane lembra que a companhia aérea se transformou num cancro e diz que "não restam dúvidas, que estando a LAM na situação em que se encontra neste momento e todo o Ministério dos Transportes e Comunicações envolvido em escândalos e problemas sérios, várias situações anómalas estão a minar o desenvolvimento e funcionamento dessa instituição."

E em simultâneo, o próprio ministro Carlos Mesquita terá violado a Lei de Probidade Pública ao contratar as suas próprias empresas para fornecerem serviços a empresas sob sua tutela. Que significado têm as visitas de Nyusi num momento em que o Ministério dos Transportes e Comunicações está na "berlinda"?

Mosambik Filipe Nyusi

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique

O analista Egídio Vaz distancia as visitas de Nyusi dos escândalos e crises, enquadrando-as no normal processo de visitas que o estadista tem estado a fazer a vários ministérios, mas admite que "é uma questão tática, mas também de disponibilidade, eventualmente. Portanto, a visita ao Ministério dos Transportes e Comunicações não é uma visita em resposta aos últimos desenvolvimentos."

Avaliações, saneamentos e remodelações

Depois da Comissão Central de Ética Pública ter reconhecido que o ministro Carlos Mesquita violou a Lei de Probidade Pública e de se saber que a LAM e outras empresas estão financeiramente debilitadas e a enfrentar problemas operacionais são aguardadas soluções.

Silvério Ronguane espera uma atitude contundente do Presidente Nyusi: "Com essas visitas que o Presidente faz aos ministérios, temos a esperança de que no final haja um saneamento, porque o chefe de Estado vem sendo informado dos vários problemas que as empresas vivem e que passam necessariamente pelos seus gestores. Portanto, é de se esperar que no final dessas visitas se faça uma avaliação e que se tirem as consequências políticas necessárias."

E o analista conclui dizendo que "se o Presidente quer continuar a ter alguma credibilidade terá de fazer alguma coisa para demonstrar que realmente está preocupado com a coisa pública e com a governação."

Mas esse saneamento ou remodelação no Ministério dos Transportes e Comunicaçõesestaria dependente de agendas partidárias da FRELIMO que sustenta o Governo, sugere o analista Egídio Vaz: "Vejo ali uma última remodelação, e a acontecer isso, definitivamente vai contemplar o ministro, seja para transferi-lo para um outro setor ou para dispensá-lo para outras atividades. Não acredito que o ministro Mesquita seja dispensado por isso agora, antes do Congresso."

Ouvir o áudio 03:08

Moçambique: Exoneração de Carlos Mesquita só depois do congresso da FRELIMO?

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados