Exército da RDC lança nova operação contra rebeldes ugandeses | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 13.01.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Exército da RDC lança nova operação contra rebeldes ugandeses

Ofensiva vai durar até que a paz seja reestabelecida na região, segundo o Exército. A operação visa principalmente os combatentes da Frente Democrática Aliada do Uganda.

default

Autoridades dizem que ataques contra civis começaram há mais de três anos (foto de arquivo / outubro de 2014)

Na República Democrática do Congo (RDC), o Exército anunciou, este sábado (13.01), uma nova operação contra grupos armados, nomeadamente os rebeldes da Frente Democrática Aliada (ADF, na sigla em inglês) do Uganda, suspeitos de matar pelo menos 14 soldados das Nações Unidas no mês passado.

 Os veículos do Exército transportaram cerca de 300 soldados para a sede da operação, perto da província de Beni, na província oriental do Kivu do Norte.

Tanques e veículos blindados também foram enviados para aquela região, de acordo com um correspondente da agência de notícias AFP.

O Exército da RDC "decidiu lançar a ofensiva contra a ADF e contra grupos armados no Beni e províncias adjacentes", afirmou o general Marcel Mbangu à AFP.

"Para nós, esta será a última vez. Vamos lutar até restaurarmos a paz e a segurança nestas zonas", acrescentou o militar.

DR Kongo Alltagsleben in Beni in der nähe von dem Kreisverkehr Nyamwissi

Beni é uma das províncias mais visadas pelos rebeldes ugandeses (foto de arquivo / dezembro de 2017)

Ataques contra civis e soldados da ONU

A força rebelde da ADF do Uganda é um dos vários grupos armados que atuam nas províncias Kivu do Norte e Kivu do Sul, que fazem fronteira com o Uganda, o Ruanda, o Burundi e a Tanzânia.

As autoridades congolesas e a missão da Organização das Nações Unidas (ONU) na RDC, MONUSCO, acusam o grupo de matar mais de 700 civis e combateres na região de Beni desde 2014. O grupo também é acusado de matar 14 soldados da ONU no leste do país no mês passado, a maior perda de forças de paz da ONU em mais de 20 anos.

No sábado, segundo a AFP, nenhuma patrulha da ONU foi vista em torno da sede da nova operação do Exército congolês.

No final de dezembro, o Exército ugandês anunciou o lançamento de ataques aéreos contra campos do ADF na RDC. A operação, segundo as forças de segurança do Uganda, resultou na morte de pelo menos 100 combatentes da ADF.

Leia mais