1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Estudantes angolanos no Brasil publicam vídeo de solidariedade com ativistas

Um grupo de jovens angolanos, a estudar no Brasil, realizou um vídeo de solidariedade com os presos políticos do regime angolano e todos aqueles que são vítimas de perseguição e intolerância política em Angola

O vídeo “Liberdade já. Angola livre”, publicado nas redes sociais, visa solidarizar-se com os presos políticos em Angola. Foi criado por um grupo de jovens estudantes em S. Paulo, no Brasil.

A DW África falou com o mentor da iniciativa, Osvaldo Gomes, estudante de administração numa universidade privada. O jovem diz que tem "tido contato com outros estudantes que partilham os mesmos ideais" e então decidiram fazer o vídeo.

A razão é porque vai regressar à Angola e não quer voltar ao seu país e ver os seus filhos “passarem pelo mesmo que ele está a passar”. Osvaldo espera que “eles encontrem uma Angola livre do ponto de vista socioeconómico e estrutural”. O jovem quer que o seu país “tenha tudo aquilo que faz uma sociedade boa para se viver como mais cultura e melhor educação”, conta o estudante.

Osvaldo, tal como os seus companheiros, quer que as pessoas possam expôr os seus pensamentos livremente e sem medo de represálias, “liberdade de expressão” diz o jovem e acrescenta que “decidiram fazer o vídeo sob forma de protesto não só em apoio a esse pessoal que está preso, como também contra outras injustiças que o governo de José Eduardo dos Santos tem feito nos últimos anos” comenta.

O estudante angolano diz-se “indignado” e “frustrado” por ver as notícias à distância e nada poder fazer.

Video "Liberdade já. Angola Livre"

Com o vídeo, “Liberdade já. Angola Livre”, Osvaldo Gomes espera incentivar mais pessoas para que “não tenham medo” e “possam dar a cara para protestar sobre aquilo que está mal. Queremos que as pessoas despertem e tenham consciência do que está a passar-se. Quanto mais gente tiver noção do que está a acontecer melhor”, concluiu Osvaldo Gomes.

Eurodeputados pedem condenação pública dos acontecimentos em Angola

É precisamente no panorama internacional que continuam a aumentar as pressões sobre o regime angolano. Um grupo de 20 eurodeputados escreveu à chefe da diplomacia europeia a pedir uma condenação pública dos recentes acontecimentos em Angola. Segundo a agência de notícias Lusa, na missiva enviada à Alta Representante da União Europeia (UE) para a Política Externa, os eurodeputados relataram os acontecimentos ocorridos a 08 de agosto em Luanda, dia da realização de uma marcha promovida pelas mães e familiares dos 15 jovens ativistas que estão em prisão preventiva desde junho.

Ouvir o áudio 02:33

Estudantes angolanos no Brasil publicam video de solidariedade com ativistas

No texto dirigido a Federica Mogherini, os parlamentares europeus referem que a marcha foi recebida com "extrema brutalidade policial", indicando que vários manifestantes foram espancados pelas autoridades e atacados pelos cães das forças policiais.

Os parlamentares perguntaram ainda na missiva se a Alta Representante vai condenar publicamente "a brutalidade policial e as restrições contra manifestações pacíficas" em Angola.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados