1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Eduardo dos Santos ausente da festa dos 60 anos do MPLA

Ao contrário do que se esperava, o Presidente angolano não compareceu na festa de aniversário do partido no poder. O MPLA continua a não confirmar se João Lourenço sucederá a José Eduardo dos Santos na liderança.

O ato central das comemorações do 60º aniversário da fundação do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) decorreu sem a presença do presidente do partido, José Eduardo dos Santos.

Foi o vice-presidente, João Lourenço, que assumiu o papel de chefe de cerimónias e discursou perante milhares de pessoas no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, abordando a crise económica e financeira que o país atravessa.

"Estamos a viver um momento particularmente difícil, mas que é passageiro, conjuntural", afirmou Lourenço, citado pela agência noticiosa angolana Angop.

Lourenço não se pronunciou só sobre o presente. Falou também sobre o passado e o futuro do partido no poder, a menos de um ano das próximas eleições gerais em Angola.

Joao Manuel Goncalves Lourenc Verteidigungsminister Angola

João Lourenço: "Só um povo livre é feliz"

MPLA confiante em 2017

Por um lado, Lourenço lembrou os sacrifícios da luta pela independência: "Só um povo livre é feliz. Um povo subjugado não é feliz. Daí o facto de não termos olhado a sacrifícios para atingirmos este objetivo", disse. Por outro, mostrou-se confiante nas eleições de 2017: "Se os militantes, amigos e simpatizantes trabalharem arduamente, as coisas estarão a favor do partido, e o povo angolano mais uma vez vai reiterar a sua confiança no partido."

Não foi avançado o motivo da ausência do chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos. O MPLA também não confirmou se o vice-presidente, João Lourenço, será o candidato do partido à Presidência da República em 2017, como tem sido avançado na imprensa.

Segundo o MPLA, durante a reunião do Comité Central, a 2 de dezembro, não foram divulgados os nomes dos candidatos do partido ao próximo escrutínio porque a decisão teria, antes, tem de ser dada a conhecer às bases do movimento em todo o país.

Leia mais