1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Combate à morte por plástico da tartaruga em Cabo Verde

O plástico é um dos piores poluentes do ambiente. Mas há quem desconheça ainda o perigo que ele representa para a fauna. Uma iniciativa pretende agora minimizar os riscos para os animais marinhos em Cabo Verde.

Na ilha do Sal, a organização não governamental (ONG) SOS Tartaruga está a promover jornadas de sensibilização sobre o uso de sacos de plástico. A campanha agora lançada tem o nome “Nô Ca Crê Plástico, e Bô?”, o que traduzido para português significa “Não queremos plástico, e tu?”.

Uma das medidas sugeridas pela SOS Tartaruga é que as pessoas troquem os sacos de plástico pelos de algodão. Os voluntários da ONG interpelaram todos os clientes que compravam pão nas padarias de Santa Maria e Espargos. E quem estivesse de acordo, recebia um saco de pano de algodão em troca do seu saco de plástico. João Pires, um dos activistas da SOS Tartarugas, disse à DW África: “Só ontem distribuímos mais de 400 bolsas em Santa Maria. Tem sido boa campanha, as pessoas estão a contribuir para um Cabo Verde sem plástico”. Também nos Espargos, para onde se mudou a campanha no dia seguinte, os ativistas contavam distribuir mais de 300 bolsas de pano no período da manhã, e outras tantas à tarde: “Consoante o número de clientes assim vamos oferecendo sobretudo as pessoas que se interessam por um Cabo Verde sem plástico”, explica João Pires.

Meeresschildkröten Kapverden

Uma das espécies mais ameaçadas pelo plástico é a tartaruga marinha

Milhares de animais mortos todos os anos

A organização pretende promover a substituição gradual das sacolas de plástico por material biodegradável, a fim de proteger o ambiente em uma forma geral, e especialmente as tartarugas marinhas, diz ainda João Pires: “Como sabem, 70 por cento do lixo marinho é constituído por plástico que polui a natureza. Milhares de aves, peixes e tartarugas morrem todos os anos por causa do consumo dos sacos de plástico. Por isso achamos que é uma boa campanha, e esperamos a contribuição das pessoas por um Cabo Verde sem plástico”.

Cabo-verdianos aderem à iniciativa

Muitas pessoas aceitaram a oferta da troca e levaram o pão para casa em bolsas de pano. Os cabo-verdianos, e, neste caso, os salenses, saúdam a iniciativa, pelo menos a julgar pela opinião dos transeuntes entrevistados pelo repórter da DW África: “É uma boa iniciativa. Agora depende muito da consciência das pessoas porque aqui, infelizmente, ainda falta-nos muita cidadania”, diz este cliente da padaria. Um outro acrescenta: “Antigamente as pessoas usavam uma bolsa de algodão na compra do pão. Por não voltarmos a esse período e não usarmos o

Ouvir o áudio 02:32

Combate à morte por plástico da tartaruga em Cabo Verde

plástico?

Os sacos de plástico são compostos por resina sintética à base de do petróleo. Não são biodegradáveis, e é difícil determinar com precisão o tempo que levam para se decompor na natureza. Mas calcula-se haver certos plásticos cuja degradação leva pelo menos 100 anos.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados