1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Cidade do Lubango mergulhada no lixo

Empresas de recolha de lixo na capital da província da Huíla, em Angola, estão paralisadas há dezoito meses por falta de pagamento. A cidade do Lubango está cada vez mais imunda.

default

Lixo numa das artérias do Lubango, Angola

A situação alastra-se desde os finais de 2014, altura em que as empresas de recolha de resíduos sólidos da cidade do Lubango, capital da província angolana da Huíla, renunciaram a tarefa por falta de verbas.

Com as chuvas que se fazem sentir a situação tornou-se mais complicada, principalmente quando se sabe que a falta de saneamento básico concorre para o aumento do surgimento de doenças diarreicas agudas e outras. Daí que os munícipes temem pelo agravamento da situação.

Afrika Müll in Angola

Criança no meio do lixo

Citadinos agastados

Sérgio Miranda, de vinte e cinco anos de idade, reclama da situação: ¨Este lixo é um atentado a saúde publica e está mesmo no centro da cidade, é feio. Seria bom que as autoridades resolvessem a situação, porque para além das crianças que brincam à volta do lixo, há moradores que vivem próximo do local. E neste tempo chuvoso nem há valas de drenagem. Apelo a administração municipal que coloque contentores para se depositar o lixo.¨

Américo Jorge Tchicolomuenho, morador do bairro comercial, diz que desde 2014 a recolha de lixo na sua zona é deficitária. Ele acusa a Administração Municipal do Lubango de ter recolhido os contentores onde se depositava o lixo: ¨Este lixo já esta aí desde o ano de 2014, [a cidade] está mesmo muita suja. Vimos que a administração Municipal do Lubango o começou a recolher os contentores de lixo no ano passado, mas ninguém sabe onde colocou-os. Agora o lixo é atirado para o chão e fica ao ar livre, o que é muito mau.¨

Osvaldo Clementino Safeca diz que a situação da cidade do Lubango é uma lástima, depois de no passado a cidade ter sido considerada o jardim de Angola: ¨ É triste, mesmo. Do jeito que a cidade está agora com este nosso novo governador é uma lástima. Em frente ao Comando Provincial de Bombeiros há um montão de lixo desde o ano antepassado, até aqui não se consegue por fim ao problema do lixo. E não é só aqui [que há lixo], há também nos arredores da cidade.¨

Ouvir o áudio 02:37

Cidade do Lubango mergulhada no lixo

Autoridades assumem que faltam verbas

O administração municipal do Lubango reconhece os problemas e apela para a participação dos munícipes na resolução. Francisco Barros diz que não tem verbas para remunerar as empresas: "Temos dificuldades de o fazer [recolha do lixo], o acumular dos resíduos sólidos é cada vez mais visível sobretudo nas periferias. As empresas apresentam atrasos no cumprimento dos contratos em termos de pagamento. Mas estamos a fazer de tudo, infelizmente ainda não atingimos o que poderíamos considerar um trabalho de excelência."

A DW África procurou as empresas de recolha de lixo, mas estas preferiram não falar sobre o assunto.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados