1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Cerca de duas mil pessoas procuram refúgio em Mossurize

Populares dizem fugir de ataques a povoados na província de Manica, centro de Moçambique, e acusam homens armados da RENAMO de tortura, roubo e vandalismo. Polícia também culpa o partido, que não se pronunciou.

default

Deslocados vivem em tendas montadas em Mossurize, na província central de Manica

Na sede distrital de Mossurize, foram montadas 334 tendas para acolher igual número de famílias. No total, mais de 1600 adultos e mais de 400 crianças procuraram aí refúgio.

Os deslocados dizem que fugiram dos seus povoados por causa dos ataques e ameaças de homens armados do maior partido da oposição em Moçambique, a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO). Deixaram para trás tudo quanto possuíam - as suas casas, o gado e as colheitas - e estão agora em tendas na sede distrital de Mossurize.

Manuel Zondiua conta que o seu povoado foi alvo dos ataques.

"Fugimos de inimigos das nossas zonas. Bandidos da RENAMO. Os homens da RENAMO batiam-nos e achámos conveniente estarmos aqui. O Governo dá-nos a comida e sentimo-nos seguros assim," afirma.

Mosambik Konflikte Flüchtlinge

O dia-a-dia dos deslocados internos, no acampamento em Mossurize

Maria Jossefa diz que os homens armados, além de torturar as pessoas, exigiam dinheiro e animais, entre outros bens.

"Fugimos de casa por causa da RENAMO. Andaram a bater nas pessoas e roubavam dinheiro, bois, cabritos e galinhas," relata Jossefa.

Os nossos entrevistados acrescentaram ainda que os homens armados também destruíram pontes e postos policiais e de saúde.

Polícia também culpa a RENAMO

Segundo o responsável pelo grupo, Elias Johane, centenas de pessoas fugiram de cinco localidades e postos administrativos - nomeadamente Chiurairue, Dacata, Chikwekwete, Garagwa e Chirera, os locais mais afetados pela tensão político-militar.

"Fugiram da guerra. Outros foram feridos ou mortos. Muita gente fugiu para cá, porque a maior parte são membros do partido FRELIMO [Frente de Libertação de Moçambique]," diz Johane.

Homens armados voltaram a atacar o distrito de Mussorize no fim-de-semana passado, tendo incendiado três residências. A polícia de Manica atribuiu o ataque à RENAMO. Segundo a porta-voz da polícia de Manica, Elsídia Filipe, "a situação já está controlada".

Ouvir o áudio 02:31

Cerca de duas mil pessoas procuram refúgio em Mossurize

A RENAMO não se tem pronunciado sobre os ataques em Manica. A DW África tentou contactar o maior partido da oposição moçambicana, sem sucesso.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados