Carlos Saíde é o candidato do MDM às intercalares em Nampula | Moçambique | DW | 01.12.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Carlos Saíde é o candidato do MDM às intercalares em Nampula

Carlos Saíde foi apresentado como cabeça-de-lista do MDM, partido que governa em Nampula desde 2013, às eleições intercalares de janeiro. Nomeação acontece quase dois meses depois do assassinato do edil Mahamudo Amurane.

default

Carlos Saíde (dir.): "A minha aposta é pôr a cidade limpa e ter uma boa governação"

Carlos Saíde é a pessoa certa para assumir as rédeas de Nampula e dar continuidade à governação do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) na cidade, anunciou quinta-feira (30.11) o partido na apresentação pública do seu candidato às eleições intercalares de 24 de janeiro de 2018, no bairro de Namicopo.

O secretário-geral do MDM, Luís Boavida, disse que a eleição interna do candidato, que foi vereador da Urbanização no governo de Mahamudo Amurane - edil assassinado a 4 de outubro por desconhecidos - foi transparente. E pediu aos membros do MDM para ignorarem as divergências.

Luís Boavida não poupou críticas a quem acusa o MDM de ter ignorado o deputado Rachade Carvalho, um dos três candidatos mais votados, em troca do atual, por causa de alegados interesses das elites do partido.

Mosambik - Anhänger der MDM Partei

Apoiantes do MDM no bairro de Namicopo

"Se os [outros] dois são deputados da Assembleia da República, estão a representar bem o partido MDM lá  e vão continuar. O colega [Carlos Saíde], que também tem condições de ser candidato e não está a representar o MDM em nenhum órgão, passa então a candidato", disse.

Além disso, justificou o secretário-geral, nestas eleições o edil vencedor só irá governar durante sete meses porque haverá outras eleições no próximo ano. "A Comissão Política considerou que se for uma pessoa que nunca trabalhou no Conselho Municipal vai precisar de três meses para se adaptar. Então, só governaria três meses", explicou.

Promessas de uma cidade limpa

O candidato Carlos Saíde, empresário de 47 anos, poupou nos discursos. Agradeceu apenas a confiança do partido e comprometeu-se, caso seja eleito, a trabalhar para devolver boas e melhores condições à cidade de Nampula.

Mais áreas arborizadas nos bairros, melhor abastecimento de água e criação e reabilitação das estradas são lgumas das promessas. "A minha aposta é colocar a cidade limpa e ter uma boa governação, dando oportunidades a todos os munícipes", declarou.

Ouvir o áudio 02:24

Carlos Saíde é o candidato do MDM em Nampula

O partido Ação de Movimento Unido para a Salvação Integral (AMUSI) escolheu o seu líder Mário Muquissince, de 54 anos, para candidato a presidente da terceira maior cidade moçambicana.

Numa eleição interna que contou com quatro candidatos, Muquissice foi o vencedor com 35 votos. Falando à imprensa na quinta-feira (30.11), o candidato também prometeu trabalhar e lutar para "manter a cidade limpa, dedicar atenção aos bairros, sobretudo na abertura de vias de acesso, e velar pela melhoria dos transportes urbanos, para além de de apoiar os jovens que vivem de pequenos negócios".

E-Povo na corrida

Também a coligação E-Povo, constituída pelo Partido Independente de Moçambique (PIMO), Partido Trabalhista (PT) e Partido da Reconciliação Nacional (PARENA), manifestou o seu interesse em concorrer às intercalares de Nampula. A sua aposta poderá ser em Sadreque João Mário, um dos antigos assessores de Castro Namuaca, edil da FRELIMO substituído por Mahamudo Amurane. Aguarda-se para breve a sua apresentação pública.

A Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) já escolheu Amisse Cololo, 58 anos, militante que até agora era diretor da Secretaria da Assembleia da República, enquanto o principal partido oposição, a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), escolheu como candidato Paulo Vahanle, 57 anos, docente e deputado na Assembleia Nacional.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados