1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ativistas de Angola 15+2

Os 15+2 são um grupo de ativistas angolanos que foram presos em Luanda, Angola, em 2015, quando discutiam um livro sobre métodos pacíficos de protesto. Foram acusados e julgados por vários crimes.

Os 15+2 foram acusados do “crime de atos preparatórios para a prática de rebelião (…) e atentado contra o [na altura] Presidente da República ou outros membros de Órgãos de Soberania”. A acusação recaiu sobre 17 pessoas, das quais 15 estiveram em prisão preventiva e duas – ambas mulheres - em liberdade provisória. Também são chamados "Movimento Revolucionário de Angola" ou simplesmente "revús". As 17 pessoas que foram acusadas são jovens ativistas que se destacaram na organização de atos públicos e manifestações em defesa da liberdade contra o governo do antigo Presidente José Eduardo dos Santos. São elas: Domingos da Cruz, Luaty Beirão, Nuno Álvaro Dala, Manuel Baptista Chivonde Nito Alves, Afonso Matias "Mbanza Hamza", Benedito Jeremias “Dito Dali”, Inocêncio António de Brito “Drux”, Sedrick de Carvalho, Albano Evaristo Bingobingo “Albano Liberdade”, Arante Kivuvu, Hitler Jessy Chiconde “Samussuku”, Fernando Tomás “Nicola Radical”, Nelson Dibango, Osvaldo Caholo, José Gomes Hata “Cheik Hata”, Laurinda Gouveia e Rosa Conde. Em 2016, após aproximadamente um ano na prisão foram libertados através de uma amnistia.

Ver mais