Ataque terrorista deixa pelo menos 20 mortos em Mogadíscio | NOTÍCIAS | DW | 14.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Ataque terrorista deixa pelo menos 20 mortos em Mogadíscio

Camião armadilhado explodiu perto de hotel em rua movimentada da capital somali. Ataque considerado um dos piores dos últimos meses é atribuído ao grupo extremista Al-Shabab.

default

Hotel onde ataque ocorreu ficou totalmente destruído

Um ataque com camião armadilhado perpetrado perto de um hotel deixou pelo menos 20 mortos este sábado (14.10) em Mogadíscio, a capital da Somália. O atentado é atribuído ao grupo extremista Al-Shabab, mas os terroristas não assumiram a autoria do atentado.

Este é o ataque mais fatal em Mogadíscio desde as eleições de fevereiro. Pelo menos 15 pessoas ficaram feridos. O camião explodiu nas imediações do Safari Hotel, situado numa movimentada rua da capital somali no distrito de Hodan. O hotel também fica próximo ao Ministério dos Negócios Estrangeiros da Somália.  

Assistir ao vídeo 02:31
Ao vivo agora
02:31 min

Luta por sobrevivência na Somália

Segundo o capitão da polícia de Mogadíscio, Mohamed Hussein, o camião tinha suscitado suspeitas e estava a ser seguido por agentes no momento em que explodiu.

De acordo com os meios de comunicação locais, os hospitais da região estão superlotados e a maior parte dos afetados pela explosão são civis, sobretudo vendedores ambulantes.

O Al-Shabab está a intensificar os ataques contra bases militares no sul e centro do país. A explosão ocorre dois dias depois de um encontro entre o presidente da Somália, Mohamed Abdullahi Mohamed Farmajo, e expoentes do comando dos Estados Unidos na África e de dois membros do alto escalão do governo – o ministro da Defesa, Abdirashid Abdullahi Mohamed, e o chefe das Forças Armadas, Ahmed Jimale, deixarem os cargos.  

Os EUA tem efetuado ataques com drones contra os fundamentalistas islâmicos e dado apoio ao governo da Somália e a uma missão da União Africana no país com 20.000 soldados para conter o terrorismo. 

Em março deste ano, o presidente americano, Donald Trump, deu ao exército americano mais poder para continuar a guerra anti-terror na Somália. Desde então, aconteceram 13 missões com a participação norte-americana: três operações terrestres e dez ataques aéreos.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados