Angola retira produtos dos mercados após epidemia na África do Sul | Angola | DW | 10.03.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola retira produtos dos mercados após epidemia na África do Sul

Carnes processadas das marcas Enterprise Foods e Rainbow Chicken devem ser retiradas imediatamente dos mercados angolanos, ordenam as autoridades. Produtos estão assosciados ao surto de listeriose na África do Sul.

Em comunicado a que a agência de notícias Lusa teve acesso este sábado (10.03), o Ministério da Agricultura e Florestas de Angola refere que em causa está a contaminação de enchidos e carnes processadas prontas para o consumo, como a "polony", produzidas na África do Sul por aquelas empresas. O consumo desses produtos naquele país já causou quase 200 mortes devido ao surto de listeriose.

Considerando o "risco que a listeriose representa para a saúde pública" do país, o Instituto dos Serviços de Veterinária daquele ministério ordenou a "retirada imediata do mercado" destes produtos, bem como "a sua destruição".

O ministério angolano recomenda ainda que os consumidores "devem prestar atenção às referências dos produtos e proceder à sua destruição imediata, caso os tenham adquirido", assegurando também que serão intensificadas as medidas de policiamento e controlo sanitário nos estabelecimentos comerciais e postos fronteiriços do país.

Além de Angola, outros países africanos anunciaram esta semana a suspensão da importação e a retirada desses produtos dos seus mercados, como foi o caso de Moçambique, Zimbabué, Namíbia e Zâmbia.

Assistir ao vídeo 01:06

Surto de listeriose na África do Sul

Surto epidémico

No dia 4 de março, as autoridades da África do Sul anunciaram terem identificado a causa da epidemia de listeriose, que há um ano assola o país e que já provocou pelo menos 180 mortes, responsabilizando uma empresa alimentar no nordeste do país.

Dados do Instituto Nacional de Doenças Contagiosas sul-africano indicam que, desde janeiro de 2017, foram registados perto de 950 casos, o que torna a epidemia a maior jamais registada em todo o mundo. A doença é infecciosa e é transmitida com maior frequência aos seres humanos através de alimentos contaminados.

A listeriose é uma infeção bacteriana provocada pelo bacilo "listeria monocytogenes” e figura entre as zoonoses - doenças transmitidas de animais para humanos - mais perigosas. Geralmente, causa febre, vómitos e diarreia e é tratada com antibióticos. Os indivíduos mais suscetíveis, como idosos, recém-nascidos, mulheres grávidas ou pacientes com sistema imunitário enfraquecido, estão mais expostos às complicações, incluindo a meningites e septicemias.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados