1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Angola: Balanço negativo na primeira fase do registo eleitoral

A primeira fase do registo eleitoral termina esta terça-feira (20.12.2016). Apesar dos sucessivos apelos do partido no poder e da oposição muitos cidadãos ficaram por registar, alegando enchentes nos postos de registo.

A primeira fase do registo eleitoral oficioso, que arrancou este ano em todo país, abrangeu todos os cidadãos maiores de 18 anos, que tenham realizado registos em 2012. Dados provisórios indicam que houve registo de mais de cinco milhões de eleitores. Para muitos tudo correu na normalidade. Muitos outros não foram bem sucedidos.

Helena João, uma das cidadãs que poderão exercer o seu direito de voto nas eleições gerais de 2017, falou assim aos microfones da DW África: “Eu estava internada no hospital e os homens do registo passaram por lá. Senti-me bem porque todos estão a ser registados”. Um exemplo positivo.

Muitos ficaram por registar

Ouvir o áudio 02:12

Angola: Balanço negativo na primeira fase do registo eleitoral

Porém, nem todos que se queriam registar foram registados nesta primeira fase. O Ministério da Administração do Territorio, órgão encarregue de levar a cabo o processo, reconhece a existência de zonas de dificil acesso, situação que se agrava com as chuvas que caem sobre algumas regiões do país nesta fase do ano. Mas não foi essa a razão que levou Paiva Virgilio, residente em Luanda, a não se registar.

Em entrevista à DW África ele aponta as enchentes nos postos de registo eleitoral como principal razão para o insucesso: “A razão principal é a lotação dos locais. Fica muito cheio lá. Acresce que por vezes não se tem tempo para ir registar. Às vezes não há ninguém que controle aqui no meu trabalho”.

Eleitores podem ainda registar-se numa segunda fase, até março

Na segunda fase, que se prolonga até março, o processo vai estender-se aos cidadãos que vão registar-se pela primeira vez e aqueles que tenham extraviado os seus cartões de eleitor. 

As próximas eleições gerais em Angola, para a escolha do Presidente da República e do parlamento, estão agendadas para agosto de 2017, segundo o anúncio feito em novembro de 2015 pelo chefe de Estado José Eduardo dos Santos.

Angola 2012 Wahlen Luanda

Muitos eleitores continuam por registar. Na foto: cidadãos esperam por sua vez nas últimas eleições de 2012.

Em declarações, esta segunda-feira, na cerimonia de cumprimentos de fim de ano, José Eduardo dos Santos, apelou à tolerância durante e depois das eleições gerais do próximo ano: “Desejo que as eleições gerais de 2017 decorram num espirito de tolerância, disciplina política e respeito pelas convicções de cada um. Espero ainda que os atores polítcos façam prova da sua grande maturidade e responsabilidade ao abordarem os assuntos de interesse nacional e ao difinirem os projetos para o futuro da nação”.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados