Angela Merkel, mais uma vez | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 24.09.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Angela Merkel, mais uma vez

Angela Merkel é o próprio programa eleitoral do seu partido, a União Democrata-Cristã (CDU). Apesar das críticas e obstáculos enfrentados no último Governo e de perdas na eleição, Merkel conseguiu um quarto mandato.

Até 24 de setembro, Merkel da União Democrata-Cristã (CDU) fez mais de 50 comícios, acompanhados por milhares de pessoas. Às vezes, até mesmo com a presença de perturbadores populistas, ou da cena de extrema-direita.

Acompanhe aqui os resultados das eleições federais da Alemanha

Merkel, aos 63 anos, está no centro de cada evento do partido CDU – e esteve no centro de toda a campanha eleitoral. Agora, ela conseguiu um quarto mandato – 2017, 2013, 2009 e 2005.

De fato, a campanha eleitoral da CDU ao Governo foi a campanha para a chanceler. O partido já é caricaturizado como um "clube” para eleição de chanceleres – e assim o tem sido desde a época de Konrad Adenauer.

"Crise dos refugiados"

O centro do poder alemão em Berlim é a Chancelaria Federal. Como chanceler, Merkel tem de lidar com quase todos os temas: a segurança, o papel da Alemanha no mundo, a integração de novos cidadãos. Em geral, trabalha pelo bem-estar dos alemães em seu próprio país. É por isso que o ano de 2015, em que ela levou a cabo a inclusão de centenas de milhares de refugiados no país, quase foi um "ano infeliz" para a chanceler alemã.

Deutschland Syrische Flüchtlinge machen ein Selfie mit Angela Merkel

Em 2015, Merkel visitou um centro de apoio a refugiados em Berlim

Em 2015, a palavra "Merkeln" foi uma das favoritas no concurso de "novas palavra do ano". Representava algo como "não fazer nada, não tomar nenhuma decisão". Até que veio a decisão de receber refugiados. Acabou-se, assim, a discussão sobre a palavra "Merkeln" – e com razão.

Afinal, o nome da chanceler está ligado, sim, à orientações políticas em questões controversas. A abolição do recrutamento militar obrigatório, o fim do uso de energia nuclear e a decisão parlamentar sobre o casamento para todos, independente da orientação sexual. Ela disse esta semana, inclusive, que isso tudo a ajudou a pacificar discussões no seio da sociedade.

O Partido

No que diz respeito ao partido, "os valores básicos da CDU" permaneceram como "o tempero" de sua política.

De fato, desde 2015, a marca "Merkel” foi trabalhada de maneira diferente. E a chanceler renova-se em 2017. É entrevistada por jovens estrelas do YouTube. Os encontros com jovens são uma obrigação. A CDU – cujos membros têm idade média de 60 anos –encenou-se durante a sua campanha eleitoral, na capital, com um programa acessível a todos. E Merkel quase sempre está nos eventos.

Apesar da idade já avançada, Merkel ganhou uma "nova seriedade" entre adolescentes alemães. E apelou à curiosidade, ao impulso e à inovação dos jovens. "Pensem novamente: a avó de vocês falava sobre a guerra", disse Merkel. 

É com essas ideias – e apoio – que Merkel conseguiu chegar ao seu quarto mandato como chanceler; além de já ser líder do CDU desde 2000, e chanceler desde 2005.

"Vivemos um tempo de muitas mudanças", disse ela numa entrevista recente. Merkel acrescentou que com a sua experiência pretende ajudar "para que o nosso país continue no rumo certo". 

Leia mais

Links externos