1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Alemanha reforça contribuição para programas de desenvolvimento em África

Governo alemão aumentou em 15 milhões de euros a contribuição para o Fundo Monetário Internacional (FMI) implementar programas de desenvolvimento em África. No total, o país contribui com 30 milhões até 2020.

Berlin Bundeskanzleramt (picture-alliance/Arco Images)

Prédio da Chancelaria Federal em Berlim

A Alemanha reforçou em 15 milhões de euros a contribuição que faz ao Fundo Monetário Internacional (FMI) que, por sua vez, vai implementar programas de desenvolvimento de capacidades em África. A ajuda alemã passa assim a chegar ao valor de 30 milhões até 2020. "O FMI e o Ministério Federal da Cooperação e Desenvolvimento Económico (BMZ) fortaleceram a sua cooperação no desenvolvimento das capacidades em África", anunciou o Fundo num comunicado de imprensa.

O reforço de 15 milhões "vai tornar a Alemanha num dos maiores parceiros do FMI na região", segundo o comunicado. A diretora-geral da instituição, Christine Lagarde, afirmou que "sob a liderança da Alemanha, a criação de empregos e a redução da pobreza em África tornaram-se prioridades fortes para o G20."

 A duplicação da contribuição financeira alemã para os programas de desenvolvimento de capacidades em África, de 15 para 30 milhões de euros até 2020, "vai ajudar o FMI a apoiar os decisores políticos africanos a lidar com os desafios das reformas em áreas críticas para o aumento do investimento e da criação de emprego", conclui o Fundo.

Reunião em Berlim

Em junho, vários líderes africanos foram a Berlim para uma reunião que a Alemanha quis aproveitar para estimular os investimentos no continente africano. O objetivo é de, assim, reduzir o movimento de migrantes deste continente para a Europa.

"Com esta conferência G20 África, oferecemos aos países africanos uma plataforma para entrarem em contato com os investidores e aumentarem a participação do setor privado em África", disse o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schauble, em comunicado difundido em junho.

 

Leia mais