Alemanha dá apoio financeiro a refugiados que queiram regressar a casa | NOTÍCIAS | DW | 03.12.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Alemanha dá apoio financeiro a refugiados que queiram regressar a casa

Requerentes de asilo que viram os seus pedidos rejeitados na Alemanha podem receber até 3 mil euros em bens e serviços se optarem por regressar aos países de origem.

A Alemanha quer que os requerentes de asilo rejeitados regressem ao país de origem voluntariamente e, para isso, vai oferecer novos incentivos financeiros à reintegração. A informação foi confirmada este domingo (03.12) pelo ministro do Interior, Thomas de Maizière, em entrevista ao jornal Bild.

Até ao final de fevereiro, as famílias que pretendem regressar à sua terra natal poderão candidatar-se a um apoio em bens e serviços num valor até 3 mil euros. Individualmente, a ajuda a um requerente de asilo que viu o seu pedido rejeitado pode atingir os mil euros no seu país de origem.

Os novos incentivos, segundo o ministro do Interior alemão, são uma extensão do programa de apoio em curso desde fevereiro, o "Starthilfe plus”. Há vários anos que a Alemanha apoia o regresso dos requerentes de asilo com ajuda financeira, incluindo custos associados com as viagens.

"O teu país. O teu futuro. Agora!”

Malta informelles Treffen der EU-Innenminister zu Migration und Grenzsicherung Thomas de Maziere

Thomas de Maizière, ministro do Interior da Alemanha

O Governo alemão intensifica os incentivos às partidas voluntárias de requerentes de asilo no país, numa altura em que as autoridades continuam a braços com o fluxo de quase 1 milhão de migrantes que chegaram entre 2015 e 2016 à Alemanha, vindos de países como a Síria, o Afeganistão e o Iraque.

"Se decidirem a favor da partida voluntária até ao final de fevereiro, podem receber não só um apoio inicial mas também ajuda financeira para o alojamento no primeiro ano no país de origem”, disse Thomas de Maizière ao jornal alemão, referindo-se ao programa "Dein Land. Deine Zukunft. Jetzt!" (O teu país. O teu futuro. Agora!)

"Há oportunidades nos vossos países de origem. Vamos ajudar-vos com apoio concreto à vossa reintegração”, sublinhou o dirigente.

O apoio adicional à reintegração dos refugiados nos países de origem pode incluir o pagamento da renda, apoio financeiro à construção e renovação imobiliária ou equipamento básico para cozinhas e casas de banho.

De acordo com o jornal Bild, entre fevereiro e outubro de 2017, o programa de apoio ao regresso dos requerentes de asilo abrangeu 8.369 pessoas. Entre janeiro e setembro, quase 20 mil pessoas foram deportadas. Ainda segundo o jornal, 115 mil requerentes de asilo rejeitados continuam a viver na Alemanha.

Leia mais