1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

África do Sul nega que 10 milhões de dólares foram suborno

Responsável local pela organização do Mundial 2010 diz que a Associação de Futebol da África do Sul pagou 10 milhões de dólares à CONCACAF - mas esse não foi um suborno, como acusam investigadores norte-americanos.

default

Danny Jordaan, presidente da Associação de Futebol da África do Sul

O atual presidente da Associação de Futebol da África do Sul (SAFA), Danny Jordaan, que foi diretor executivo do Comité Organizador do Mundial 2010, disse este domingo (31.05) à imprensa sul-africana que a SAFA transferiu, antes do campeonato, 10 milhões de dólares para a Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caraíbas (CONCACAF). A confederação era liderada na altura por Jack Warner, ex-vice-presidente da FIFA, que foi detido e está a ser investigado por corrupção.

No entanto, Jordaan nega que esse dinheiro tenha sido um suborno para garantir a realização do Mundial na África do Sul.

Jahresrückblick 2010 International Juni Südafrika Fussball WM

Presidente da FIFA, Joseph Blatter, e Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, na abertura do Mundial 2010

"Nunca subornei ninguém nem nunca fui subornado na minha vida", disse em entrevista à publicação Sunday Independent. "Como poderíamos ter pago um suborno quatro anos depois de a nossa candidatura ter ganho?"

Danny Jordaan sublinha que a África do Sul foi escolhida para realizar o Mundial em maio de 2004 e o pagamento de 10 milhões de dólares à CONCACAF só foi feito em 2008. Segundo o dirigente, esse dinheiro foi uma contribuição para desenvolver o futebol na região.

Acabar com especulação

Entretanto, o Governo sul-africano pede à imprensa e aos cidadãos para se absterem de especular mais sobre a matéria.

O ministro do Desporto, Fikile Mbalula, insiste que a África do Sul tem as mãos limpas. Nota também que as informações avançadas por Jordaan não contrariam as declarações anteriores do Governo, que negou que o país tenha pago subornos para garantir a organização do Mundial.

Ouvir o áudio 02:01

África do Sul nega que 10 milhões de dólares foram suborno

"Todos os financiamentos do Governo sul-africano foram transferidos através do Tesouro Nacional para o Departamento sul-africano do Desporto e Atividades Recreativas e esse Departamento e o Governo da África do Sul não fizeram pagamentos a nenhum indivíduo", afirmou.

Ceticismo

Ainda assim, há quem pergunte por que razão o montante foi deduzido dos 100 milhões de dólares pagos à SAFA pela FIFA para ajudar o país a financiar o Mundial de 2010, como avançou o jornal Sunday Independent.

Siyabonga Mhambi é um dos cidadãos que pede ao Governo sul-africano que conduza a sua própria investigação, para evitar possíveis embaraços: "Onde há fumo costuma haver fogo, mas será preciso esperar pelo resultado das investigações. Porque, como as coisas estão, o país fica mal visto como organizador do Mundial. Estraga tudo o que foi feito pela SAFA e por todos os que estiveram envolvidos, incluindo Mandela."

Outros cidadãos acusam as autoridades norte-americanas de querer prejudicar a imagem do país. Lesedi Mohomane, por exemplo, diz que os investigadores do FBI devem apresentar à África do Sul os factos relacionados com este caso, que provem as alegações.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados